Capa

Império Endurance Brasil Império Endurance Brasil

Império Endurance Brasil rebate Átila Abreu e Léo Sanchez e reitera trabalho criterioso na equalização dos carros

Organização do campeonato detalha o trabalho feito para promover igualdade entre os diversos modelos que compõe o grid e lamenta decisão da dupla em deixar a etapa do Velopark

10.11.2023  |  342 visualizações

O Império Endurance Brasil lamenta a decisão de Léo Sanchez e Átila Abreu de retirar a BMW M4 do grid da penúltima etapa do campeonato, que será disputada neste sábado, no autódromo do Velopark, no Rio Grande do Sul. A dupla da equipe EMS Racing disse não concordar com o regulamento do BOP - equilíbrio de desempenho na sigla em português - para os carros da GT3 inscritos no campeonato e deixou a disputa.

Sanchez e Abreu alegaram que as regras beneficiam os carros com motores aspirados, como Porsche e Mercedes, em provas realizadas nos circuitos ao nível do mar, caso do Velopark. No entanto, a organização reitera que foi feita uma compensação de 6% na curva de pressão de turbo da BMW para equilibrar a perda de potência relacionada à diferença de altitude, além da redução de 10kg no peso mínimo do carro.

Essas decisões foram tomadas após a realização de simulações computacionais e diversos estudos técnicos com base na etapa realizada no mesmo autódromo do Velopark, em junho deste ano.

Para garantir a equidade entre os diversos modelos de carros de Gran Turismo inscritos na competição, a organização leva em consideração indicadores de performance, desgaste de pneus e dos equipamentos em geral, e não apenas o resultado final das provas. Apesar das reclamações em relação ao desempenho da BMW, Sanchez e Abreu venceram a última etapa do campeonato, disputada em Cascavel, no Paraná.

Outro ponto que vale ser destacado é que, em nenhum momento, a organização do Império Endurance Brasil alegou que não poderia buscar uma melhor equalização dos carros por contar com um maior número de modelos com motores aspirados em relação aos modelos turbo. Os engenheiros responsáveis pelo BOP do campeonato se recusaram a seguir as sugestões da dupla por considerar que adicionar mais peso aos carros - cerca de 60kg em placas de chumbo - um risco à segurança dos pilotos.

Também não foi possível considerar a possibilidade de fabricar novos s restritores para os motores aspirados por questões logísticas. Além disso, medidas para assegurar a equidade entre os competidores já haviam sido adotadas e pouco testadas, já que a BMW participou de apenas um dos quatro treinos livres previstos na programação do final de semana.

O Império Endurance Brasil é uma categoria que tem como principal objetivo promover um evento justo, competitivo e atrativo para pilotos, equipes, público e patrocinadores, atraindo para o grid grandes nomes do automobilismo nacional, como Sanchez e Abreu, e super máquinas como a BMW M4 preparada pela EMS Racing.

A Associação dos pilotos de Endurance - entidade responsável pela organização e promoção do evento -  espera poder contar com o retorno dos competidores ao grid para a disputa da grande final do campeonato, marcada para o dia 09 de dezembro, no autódromo do Velocittá, em Mogi Guaçu, interior de São Paulo.

Leia também...
10.04.2024

Prova no dia 11 de maio é válida pela segunda etapa da temporada 2024 e marca retorno da categoria ao autódromo após quase um ano e meio

03.04.2024

Circuito na capital paulista recebe próxima etapa do campeonato e será palco de prova especial que celebra os dez anos da categoria

18.03.2024

Especialistas de automobilismo elegeram dupla campeã de 2023 como destaque em prêmio organizado pela revista Racing

16.03.2024

Renan Guerra e Marco Pisani venceram em sua estreia entre os protótipos, enquanto os Porsches da Stuttgart mantivera o reinado na GT3 e na GT4